ti-enxame.com

Vale a pena ajustar Ext4 com noatime?

Com as versões anteriores do Ubuntu (usando o sistema de arquivos Ext3) eu costumava ajustá-lo para um melhor desempenho com resultados visíveis, definindo o parâmetro noatime em /etc/fstab.

Ainda vale a pena fazer isso com o sistema de arquivos Ext4, que agora é padrão no Ubuntu? Em caso afirmativo, o procedimento mudou de alguma forma?

Um exemplo desse ajuste pode ser encontrado aqui.

75
Decio Lira

No Ubuntu 10.04, relatime faz parte das opções de montagem padrão, a menos que seja substituído em /etc/fstab. As poucas versões anteriores tinham relatime explicitamente em /etc/fstab. relatime fornece a mesma velocidade (e conservação do ciclo de gravação flash) como noatime, sem causar problemas aos notificadores de correio antigos.

O artigo que você cita recomenda data=writeback. O padrão do Ubuntu é data=ordered. A configuração do Ubuntu é mais lenta em caso de carga pesada de disco, mas carrega significativamente menos risco de perda de dados em caso de falha ou falha de energia. Então eu não recomendaria mudar do padrão do Ubuntu.

Mudar commit=5 para commit=100 aumenta a janela de tempo durante a qual os dados serão perdidos em caso de falha, para pouco benefício na maioria das circunstâncias.

Resumo: deixe as configurações como estão, elas foram escolhidas por um motivo.


ADICIONADO: Existem outras coisas além das opções de montagem que podem fazer a diferença. A mudança de ext3 para ext4 é geralmente uma melhoria visível. Aqui estão mais algumas dicas para usuários de laptop.

  • Se você tem um SSD lento, confira este segmento no S . As dicas importantes são usar tmpfs para /tmp e para o cache do navegador (e talvez o histórico).

  • Se você tiver um disco rígido e quiser que ele pare de girar por longos períodos de tempo, instale noflushd , que permite que o disco desacelere atrasando todas as gravações até que a RAM esteja cheia . (É claro que as leituras podem fazer com que o disco gire; você vai querer ter o hábito de executar o cat /files/I/m/likely/to/need >/dev/null antes que o disco se solte.) Para que o noflushd seja efetivo, desative todas as trocas e monte seus sistemas de arquivos com algo como commit=3600.

    Usando noflushd efetivamente significa que seus dados podem permanecer não gravados no disco por um longo período de tempo. Este é um risco, a ser pesado contra o benefício de não ter nenhum ruído ou calor vindo do disco por um tempo. Não use noflushd se você não estiver confortável com esse risco.

64
Gilles

Sim, ainda faz sentido usar o noatime no Ubuntu 12.10

relatime é uma opção de montagem padrão. E relatime é muito melhor que atime. O primeiro requer uma gravação para a primeira leitura após uma gravação, o último requer uma gravação para cada leitura. Mas com noatime cada leitura é livre de uma gravação.

Isso basicamente significa que o número de gravações em um disco para a montagem relatime é quase o dobro em relação a uma outra montagem igual a noatime. É uma preocupação séria para partições em dispositivos de memória flash.

A discussão detalhada pela comunidade de kernel do Linux está em http://kerneltrap.org/node/14148

16
yanychar